Com a proximidade do dia da criança, nada melhor do que homenageá-las com canções, muitas vezes esquecidas em nossa modernidade mas que fazem parte da lembrança de muitos avós.

É uma das mais conhecidas cantigas de roda brasileiras e uma das preferidas da vovó e pianista Betth Ripoli, que encanta os netinhos Teodoro, Carolina, Júlia e Luca. Tudo isto inspira a pianista a executar com todo o seu talento, como podemos ouvir abaixo.

A página do Facebook “A Arte de Brincar com Música” tem ótimas ideias para se brincar com esta cantiga, além da tradicional roda. Sugere fazer “jogos teatrais” no estilo criado um século atrás pela teatróloga norte-americana Viola Spolin.

A brincadeira consiste em dividir uma turma de crianças em pequenos grupos, de forma que uns assistem o que outros apresentam. No exemplo de dramatização de “O Cravo e a Rosa”, as crianças deverão pensar onde estão (jardim, rua, casa), quem elas são (Cravo e Rosa) e o que vão fazer (brigar, ferir, visitar, desmaiar, chorar), e ainda pensar no cenário e nos personagens com seus figurinos.

Os autores sugerem que se permita às crianças mudar partes da cantiga de roda e deixar que dancem e cantem do jeito delas. Uma ideia que complementa muito bem tudo isso é filmar a apresentação, e o vídeo servirá de instrumento para as crianças posteriormente avaliarem o trabalho que fizeram.

Além de pianista, a vovó Betth Ripoli é violonista e compositora, e também apresenta o programa de música e entrevistas Sintonia by Betth Ripoli, na allTV.

Confira a matéria na integra em www.avosidade.com.br/vovo-betth-ripoli-interpreta-o-cravo-e-a-rosa/