Cerca de 200 pessoas compareceram ao Teatro Ralino Zambotto na noite de quinta-feira, dia 5 de março, para o evento oferecido pela Associação Industrial e Comercial de Itatiba (Aicita) em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, celebrado neste domingo, dia 8. A princípio, a Associação homenageou a todas as presentes com um clipe da música Mulher (Sexo Frágil), de Erasmo Carlos. Em seguida, subiu ao palco a pianista Betth Ripolli para a palestra show motivacional Musicare, que agradou ao público presente, composto em sua maioria por mulheres, mas que também contou com diversos homens.

Em meio a filosofias e história da própria vida, a pianista, ao lado da baixista Luciana Romanholi, apresentou a clássica canção Fascinação, Sonho Impossível (Chico Buarque), Como Vai Você (Roberto Carlos), É Preciso Saber Viver (Titãs), Revelação (Fagner), Let It Be, Imagine (Beatles), Tocando Em Frente (Almir Sater), Fera Ferida (Maria Bethânia), Começar De Novo (Ivan Lins), The Greatest Love Of All (Whitney Houston), uma música própria chamada Em Nome Das Rosas – em que tirou um participante da plateia para dançar, Vitoriosa (Ivan Lins), You’ve Got A Friend (James Taylor), e O Que É O Que É (Gonzaguinha). Com todas as letras no telão, o público pode cantar e se envolver com cada canção do espetáculo.

MusicareAicita0

Reflexões

Nesta última canção, todos foram convidados a subir ao palco e a fazer uma grande festa. O público aprovou a apresentação. “Gostei muito do alto astral e a música que envolve a gente, a vida e os exemplos”, disse Cleide Ap. Castaldi Falheiros, que chamou a amiga Maria Garcia que convidou uma colega de academia, a Vera Cristina Bueno da Cruz. “Achei maravilhoso. Gostei porque me fez refletir sobre muita coisa da minha vida, familiar. Foi prazeroso. Em um momento de tanta revolta e de irmãos brigando com irmãos, este momento é importante para a humanidade, para viver melhor, respeitando o outro. Valeu muito a pena”, disse Vera.

Receptividade

“Senti no ar uma energia que transcende”, disse Betth após o espetáculo. “Quando o profissional vai dar um recado musical ou, no meu caso, a palestra do bem, flui mais com grande receptividade. O pessoal cantou, se emocionou – teve gente que deixou escorrer lágrimas – e algumas pessoas, que no começo ficam reticentes, no fim estão aderindo e isso é um prêmio”, observou.

Esta palestra, segundo a própria Betth, é para que o ser humano olhe para si e se reconheça como um ser valioso. “Todo o potencial está dentro de si, as escolhas são suas e não dá para mandar a culpa para ninguém do que está lhe acontecendo”, ressaltou. “Se a gente filtrar e atingir, através do pensar, uma plenitude e um equilíbrio, nós vamos melhorar o mundo. Tem muita gente reclamando de tudo. Comece a olhar o outro lado e perceba quantas bênçãos a gente tem”, indicou.

MusicareAicita2

Relacionamento

Um dos pontos mais emocionantes da palestra foi quando Betth falou sobre pai e mãe. “Até uma determinada idade, os grandes problemas que a gente pode vir a ter que administrar são com relação aos pais que, às vezes, não compreendem a criança ou o adolescente e isso vai gerando um atrito. Então, a partir do momento que o relacionamento dá-se com a mãe e o pai, já se consegue iniciar a longa caminhada. A vida é um caminhar e as escolhas são de cada um. Onde e com quem estamos e o que estamos fazendo foram escolhas nossas”, frisou a palestrante.

Por fim, como estamos comemorando o Dia Internacional da Mulher, Betth completou dizendo que as mulheres são 52% da população mundial e são “a mãe” da outra metade. “Portanto, vamos valorizar e tratar bem a mulher”, completou.

Texto e Fotos por Tatiana Petti/Aicita